Grupo de Pesquisa

Finanças Analíticas

Sobre image
Os setores financeiros do meio empresarial e público estão a cada dia mais se deparando com problemas que aglomeram simultaneamente entendimentos multidisciplinares de finanças, programação, engenharia econômica, machine learning, econometria e administração. Emergiu na última década nos países desenvolvidos, então, a linha de estudos em finanças analíticas, somando em suas pesquisas todos os aparatos ferramentais e teóricos destas áreas.

Neste contexto, nasce o Grupo de Pesquisa em Finanças Analíticas. A equipe é formada por pesquisadores e discentes com formação multidisciplinar e focados nas áreas quantitativas com o intuito de ofertar capacidade analítica às publicações científicas geradas. A coordenação do grupo é de responsabilidade do Prof. Dr. Daniel Christian Henrique.

O principal objetivo do grupo é desenvolver pesquisas e informes científicos em todas as áreas das finanças analíticas ou envolvendo várias delas. Para atingir este propósito, são gerados projetos de extensão, projetos de pesquisa e orientações de monografias focados na análise de viabilidade de empreendimentos ou na análise de bancos de dados públicos de municípios, estados, órgãos federais e mundiais, assim como em dados de empresas de capital aberto e de setores ofertados pela B3.

Os discentes participantes são bolsistas PIBIC (Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica), PROBOLSAS (Programa de Bolsas de Extensão), orientandos de monografia ou voluntários. Quanto aos projetos de pesquisas, extensão e desenvolvimento de monografias, gerar-se-á pesquisas e informes científicos para postagem neste site ou para possíveis publicações em congressos e revistas especializadas. Há espaços também para divulgação das publicações efetivadas ao longo da carreira dos participantes relacionadas às áreas das finanças analíticas, assim como para divulgação das monografias orientadas pelo coordenador do grupo com maior relevância mas que não foram publicadas, desenvolvidas pelos discentes dos cursos de graduação em Engenharia de Produção da UFSC.
  •  20/02/2024 09:53

Autor: Gustavo Odair Medeiros. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. Monografia publicada no Repositório Institucional da UFSC. O ambiente desafiador atual demanda uma capacidade ágil de adaptação para novos empreendimentos, destacando a importância de identificar oportunidades. No entanto, a falta de planejamento e análise de mercado pode resultar em empreendimentos malsucedidos. Portanto, torna-se crucial conduzir uma análise estratégica e econômica para reduzir as chances de falha em um contexto incerto. Este estudo, realizado por meio da metodologia de estudo de caso com caráter exploratório, tem como objetivo analisar os fatores estratégicos e econômicos essenciais para o sucesso de uma nova empresa focada em transporte rodoviário de cargas, com ênfase no atendimento ao estado de Santa Catarina e sede em Itajaí.

  •  15/12/2023 08:28

Autor: Mickael Saadi de Penedo. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. Monografia publicada no Repositório Institucional da UFSC. Desde 2019 há uma progressiva flexibilização na diminuição dos requisitos para migrar do Ambiente de Contratação Regulada para o Mercado Livre de Energia, gerando como consequência uma expansão do último e diminuição do primeiro. Os consumidores livres que negociam suas condições têm obrigação de garantir, por meio de contratos, o atendimento à totalidade da sua carga de energia. Assim, é sabido que esses consumidores precisarão firmar acordos para comercialização de energia, mas não se sabe nem quando isso irá ocorrer e nem quais fatores intensificam a procura desses compradores. Dessa forma, o presente estudo se propõe a avaliar o comportamento de compra dos consumidores de uma comercializadora de energia no Ambiente de Contratação Livre.

  •  17/11/2023 08:58

Pesquisa publicada na Revista FSA (Qualis B2). Autores: Daniel Christian Henrique - Prof. Adjunto do EPS/UFSC; Ivan Aune de Aguiar Filho - Bolsista de Extensão Probolsas; João Carlos Prats Ramos - Bolsista de Extensão Probolsas; Gabriel Dudena de Faria - Bolsista de Extensão Probolsas. A pandemia da covid-19 gerou sérios percalços financeiros e de saúde pública no mundo, aumentando a mortalidade e o desemprego, principalmente no primeiro ano de 2020, advindo dos lockdowns, assim como forçando 151 nações a criarem auxílios de renda emergenciais até o desenvolvimento e aplicação do ciclo vacinal completo. Ingressando no ano de 2022, houve uma volta à “normalidade”, mantendo-se um convívio com as novas variantes que até hoje rondam (com as atuais cepa Éris e Arcturus espalhando-se rapidamente pelo mundo). Este estudo, portanto, objetivou analisar o impacto que o número total de casos e de mortes gerados pela covid-19 ocasionou na variação da parcela da população que vive em extrema pobreza no mundo entre 2020 e 2022, assim como sua relação com as variações do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e do PIB Per Capita dos países. Adicionalmente, este estudo é uma adaptação e evolução da pesquisa de Vitenu-Sackey e Barfi (2021) que analisou variáveis equivalentes, porém aplicadas somente aos meses iniciais da pandemia nos quais o mundo ainda se adaptava a esse novo contexto econômico, social e sanitário. Os dados foram obtidos no Our World In Data (2023), que coleta e organiza dados de fontes públicas de organizações mundiais de credibilidade, abordando dados do Banco Mundial, OMS e ONU. Como metodologia, optou-se nesta pesquisa pela geração de regressões com uso de Inteligência Artificial via uso de Machine Learning para melhor acuracidade dos coeficientes, do R2 e da normalidade dos resíduos, possibilitando uma análise mais assertiva.

  •  07/07/2023 13:39

Autor: Lucas Johannes Silva. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. Publicada no Repositório Institucional da UFSC. O setor de sorvetes no Brasil tem um forte potencial de crescimento, superando as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para os próximos anos. Diante dessas perspectivas, o presente estudo tem como objetivo realizar a análise econômico-financeira para a abertura de uma nova unidade de uma sorveteria consolidada em Brasília. Analisou-se cinco cenários com aplicações de análises de incertezas, considerando variações positivas, moderadas e negativas em relação a fatores como aumento do aluguel, aumento do custo do leite, crescimento do PIB, mudanças climáticas e aumento do aluguel combinado com o crescimento do PIB. Levando em consideração as incertezas geopolíticas e econômicas, bem como a baixa probabilidade de retorno aceitável para o novo negócio, assim como a existência de diversas opções de investimento que poderiam garantir retornos acima da taxa básica de juros com baixo risco, foi decidido que não seria viável iniciar o novo empreendimento.

  •  19/12/2022 11:16

Autora: Bianka Pisani de Souza. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. O cenário instaurado em meados de 2019, o qual estabeleceu-se estado pandêmico devido a COVID-19, impactou fortemente a economia global, estabelecendo novas formas de consumo e mudando significativamente o perfil do consumidor. Para o setor têxtil tais mudanças foram fortemente sentidas e a queda percebida nas receitas durante período foi evidente. O presente trabalho se propõe a analisar projeções de receitas utilizando diferentes métodos de previsão de demanda para diferentes empresas do setor têxtil após o período de flexibilização da pandemia. Analisou-se as projeções para o curto prazo pelas métricas de Machine Learning e estatísticas para séries temporais, considerando que os modelos fariam as ponderações necessárias frente as fortes mudanças nas receitas líquidas que o período pandêmico ocasionou no setor têxtil. Adotou-se como premissa que no momento da coleta dos dados o cenário de flexibilização estaria associado a presença ativa da Covid-19.

  •  16/08/2022 11:21

Autor: Wesley Dias Oliveira. Orientador: Prof. Dr. Daniel Christian Henrique. Movidos pelas oportunidades de ganhos com a volatilidade do mercado especulativo, muitos investidores buscam comprar ações na baixa para vender na alta, esperando realizar ganhos num futuro próximo. Imbuído desta justificativa, é necessária a pergunta: Há uma possível formação do efeito Overconfidence no período de retomada de alta do índice IBOV após os primeiros meses da pandemia do Covid-19? Para responder esta problematização foi necessária a utilização do método de Statman et al (2006).

  •  28/03/2022 08:35

Autor: Danilo Ferreira Bento. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. Os cursos de graduação em Engenharia de Produção possuem uma taxa de evasão elevada no Brasil e, mesmo com a expansão vertiginosa de cursos presenciais e à distância nas últimas três décadas, esse índice tem se mantido estável. No caso deste Trabalho de Conclusão de Curso, busca-se analisar qualitativamente, por meio de revisão bibliográfica, e quantitativamente, por meio de regressões lineares logísticas e múltiplas implementadas no R-Studio, as variáveis desse censo que mais contribuem para a quantidade de ingressantes e concluintes dos cursos nacionais de Engenharia de Produção, mas também verificar quais impactam nas disciplinas semipresenciais da modalidade presencial e no uso de materiais de acessibilidade (em libras, braile, digitais e recursos de informática).

  •  28/03/2022 07:23

Autor: Felipe Medeiros de Andrade. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. Sabe-se que o contexto atual gerado pela pandemia trouxe novos desafios no mercado, necessitando de uma capacidade elevada de adaptação a essa nova realidade, seja pela alteração dos seus processos quanto a visualização de novas oportunidades. Portanto, o objetivo deste trabalho foi identificar e analisar os principais fatores estratégicos e econômicos que influenciarão no sucesso de uma nova empresa focada nos serviços de portaria remota e e-commerce....

  •  26/11/2021 09:13

Autores: João Carlos Prats Ramos (bolsista Pibic) e Daniel Christian Henrique. O Brasil historicamente sempre se mostrou fortemente dependente das exportações de suas commodities agrícolas e minerais. Essa dependência conduz a uma constante análise da relação entre as variáveis macroeconômicas do país para efetivação de possíveis previsões quanto a seus impactos nas finanças das empresas dos segmentos do agronegócio da B3....

  •  29/09/2021 10:13

Autor: Felipe Vieira Leandro da Silva. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. No final do ano de 2019, a economia mundial foi impactada com a pandemia da COVID-19 e o subsetor de comércio foi amplamente impactado pelo fechamento de diversos pontos comerciais e uma forte migração dos consumidores para o e-commerce. O presente trabalho se propõe em aplicar diferentes metodologias preditivas nas principais empresas de capital aberto do subsetor de comércio usando as séries temporais da receita operacional líquida levando em consideração o impacto da pandemia. A conclusão desse estudo quantitativo se faz com a comparação de acuracidade entre os modelos.

  •  21/12/2020 19:54

Autora: Christine Silva Saurin. Orientador: Prof. Daniel Christian Henrique. As instituições do terceiro setor, popularmente chamadas de ONG (organização não-governamental), atuam nos mais diversos ramos de trabalho. Muitas surgem a partir da incapacidade do governo de suprir todas as demandas sociais, dando espaço para o setor privado criar iniciativas para suprir questões sociais que consideram importantes, através de instituições privadas que não visam ao lucro. Porém, mesmo que o número de novas ONGs tenha crescido nos últimos anos, a taxa de mortalidade também é elevada, em torno de 70% no primeiro ano de criação, especialmente por falhas no planejamento e na gestão financeira. Uma solução que algumas ONGs encontraram para tentar minimizar este problema foi oferecer serviços ou abrir pequenos negócios que aproveitem o conhecimento e habilidades dos seus colaboradores....

  •  21/12/2020 10:02

Autor: João Marcos Seraphim Mello. Orientador: Daniel Christian Henrique. Esta pesquisa sugere uma forma diferente das metodologias tradicionais para formulação de carteira, utilizando o método AHP como auxílio na formação de portfólios, para investidores com conhecimento de análise fundamentalista. Após a ferramenta AHP desenvolvida, por meio de uma pesquisa aplicada foram coletados dados de diferentes investidores e elaboradas carteiras e fronteiras eficientes através do Economatica....

Leia nossos informativos econômico-financeiros, os únicos do mercado em formato quantitativo, totalmente imparciais e com conclusões de fácil entendimento!!!

  •  05/06/2024 11:20

Por Daniel Christian Henrique e João Vitor Savi (bolsista de extensão Probolsas). As trágicas enchentes no Rio Grande do Sul trouxeram grande devastação ao estado, destruindo moradias, comércios, empresas e até mesmo algumas cidades quase que inteiramente. No cenário Agro do Brasil, o estado ainda tem como um de seus destaque o cultivo do arroz, sendo em grande vantagem o maior produtor do país. Frente a esta vasta produção, de imediato surgiu grande preocupação do governo com um possível desabastecimento, com a segurança alimentar dos brasileiros e até com alguma alta abrupta dos preços (principalmente através de especulações), levando-o a zerar o imposto de importação de três variedades de arroz. A iniciativa do governo, todavia, não foi bem vista pela Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e outras associações do setor rural, argumentando que não vêm possibilidade da falta de arroz no mercado nacional e que irá prejudicar financeiramente ainda mais os agricultores da região e a economia gaúcha já combalida. Neste contexto, independente da necessidade atual ou não da importação de arroz, o GPFA notou ser importante realizar uma simulação de uma quebra na produção de arroz no Rio Grande do Sul, frente as intempéries climáticas que se iniciaram no país e no mundo, e seus impactos no preço médio das cestas básicas nas capitais brasileiras - podendo ser útil para análises do contexto atual ou do futuro.....

  •  20/05/2024 09:20

Por Daniel Christian Henrique, João Vitor Savi (bolsista de extensão Probolsas), Sabrina Knoll Godoy Ilha, Fabio Augusto Dittrich e Eduardo Ferraz Lodi. O objetivo deste informe extensionista é avaliar comparativamente entre os anos de 2019 (pré-pandemia) a 2021 (pandemia) os impactos que o número de pessoal ocupado e o Valor da Transformação Industrial (VTI) geraram nos salários da indústria em cada estado da nação. Em virtude do grande volume de informações e análises necessárias, este estudo será dividido e divulgado em partes, por regiões geográficas do país, iniciando esta série com a região sul. Para consecução deste propósito, foram coletados os dados do Valor da Transformação Industrial (VTI) de cada estado na Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), divididos em 33 divisões industriais. No mesmo arquivo eram informados os salários totais pagos a cada divisão, assim como o número de pessoal ocupado nas mesmas. Adotou-se o procedimento de regressões múltiplas, método stepwise.

  •  12/12/2023 11:17

Por Daniel Christian Henrique e Ivan Aune de Aguiar Filho (bolsista de extensão Probolsas). O Decreto 399 de 1938 estipula a quantidade diária para provisão mínima de cada tipo de alimento na cesta básica por regiões do país. Dentre todos alimentos, o tomate contabiliza a maior quantidade em quilos em todas regiões, variando entre 9 kg e 12 kg. Portanto, é de se esperar que suas oscilações de preço do tomate interfiram fortemente nas flutuações dos preços da cesta básica. Surge, então, os objetivos deste estudo: (1) Quantificar os meses em que o tomate foi o primeiro, segundo e terceiro alimento mais influenciador, positivamente e negativamente, na variação percentual dos preços da cesta básica da cidade de São Paulo; (2) Averiguar o grau de impacto das flutuações do preço do tomate nos preços das cestas básicas da cidade de São Paulo.

  •  17/10/2023 14:31

Por Daniel Christian Henrique e Ivan Aune de Aguiar Filho (bolsista de extensão Probolsas). O lucro do subsetor de serviços médicos, hospitalares e diagnósticos (composto por 10 empresas dentro do setor econômico de saúde) da B3 foi de R$ 2,19 bilhões (equivalente a uma margem líquida de 4,58%). Finalizado 2022, já em um período de total controle da pandemia, fim dos lockdowns e retomada das atividades laborais, todas empresas do segmento somadas lucraram somente R$ 720 milhões no ano, ou seja, com margem líquida de 0,9% - ficou quase no empate entre receitas e gastos! O que teria acontecido neste período de tempo? Para buscar as respostas, gerou-se o seguinte objetivo a ser investigado para este estudo: realizar uma análise comparativa da situação financeira de ordem quantitativa e qualitativa do subsetor médico, hospitalar e diagnóstico da B3 entre os anos de 2020 e 2022.

  •  25/09/2023 11:44

Por Daniel Christian Henrique e Ivan Aune de Aguiar Filho (bolsista de extensão Probolsas). O entra e sai do mercado de capitais e da renda fixa parece constantemente se manter conforme os ciclos de alta e baixa da Selic vão se configurando, principalmente para o combate inflacionário. Desta forma é de se esperar que o início dos cortes das atuais altas taxas da Selic iniciem agora, novamente, o caminho oposto: uma parcela retorne para a renda variável. Será? Este é o propósito deste estudo: averiguar estatisticamente a relação de dependência da pontuação do Ibov às alterações da taxa Selic pelo COPOM, assim como qual seria o período de atraso (defasagem) desse impacto. Para tanto, foi adotado a metodologia dos Vetores Autorregressivos (VAR) para análise da relação defasada das seguintes séries temporais coletadas e ajustadas para dados mensais entre maio de 2000 a agosto de 2023.

  •  06/07/2023 15:34

Por Daniel Christian Henrique, Luiz Ricardo Mendes da Silva e Ivan Aune de Aguiar Filho (bolsista de extensão Probolsas). O GPFA iniciou um estudo comparativo relativo a evolução do impacto gerado pelos rendimentos domiciliares per capita do programa social Bolsa Família (ou Antigo Auxílio Brasil) no rendimento domiciliar médio per capita dos brasileiros. No primeiro estudo comparou-se essa relação entre os anos 2012 e 2019. Passado, enfim, todo o período de pandemia, e já com o ritmo de empregabilidade crescendo semestre após semestre, voltando a patamares pré-pandemia (e não que fossem altos ou bons...), torna-se oportuno fazer mais um comparativo, agora, para o ano de 2022 – quando já estava revogado o Auxílio Emergencial e retomado o Auxílio Brasil, com as reduções necessárias dos beneficiários do programa anterior...

  •  14/06/2023 13:46

Por Daniel Christian Henrique e Ivan Aune de Aguiar Filho (bolsista de extensão Probolsas). O tema que mais se discute nos últimos seis meses na área econômica é a elaboração do Arcabouço Fiscal pelo governo federal, com sua posterior aprovação ou não pelo congresso e senado. Não há como não tratar deste assunto na área econômica de qualquer setor público ou privado, pois afeta diretamente suas finanças. Como? Esse é o debate: os economistas se debruçam em simulações para entender se realmente a aprovação de um regramento mais rigoroso do orçamento público irá possibilitar a redução da taxa básica de juros da economia nacional pelo Banco Central, nossa velha conhecida Taxa Selic. Atualmente, a dita cuja contabiliza o maior percentual do mundo, nos já conhecidos 13,75% ao ano - que vem se mantendo nas últimas reuniões do Copom. Com possíveis futuras reduções da Selic, estimular-se-ia mais financiamentos tanto por pessoas físicas como jurídicas, mais investimentos, mais empregos, mais renda, mais compras, enfim.... a roda da economia gira. Mas até que ponto sem que se perca o controle inflacionário? Importante lembrar que em condições de inflações altas, os que mais perdem recursos e empregos são os mais pobres. Portanto, o problema não é dos mais fáceis... O GPFA, a fim de manter sua constante imparcialidade nas análises, discorrerá brevemente a posição dos dois lados em "conflito": Banco Central x Governo Federal, para depois analisar econometricamente os dados.

  •  29/05/2023 11:18

Por Daniel Christian Henrique e Lucas Ferreira Mazagão. Previamente o GPFA havia iniciado um estudo sobre o relacionamento dependente entre os preços das cestas básicas nas capitais brasileiras com os rendimentos médios de seus trabalhadores, abordando sua causalidade ao longo do tempo e sua consequente defasagem temporal. Este informe mantém a continuidade e atualização deste estudo, porém agora abordando dados cross section apenas para 2022 e consequentemente sem análises de atrasos nos impactos. Pelo fato dos rendimentos médios reais dos residentes nas capitais serem 34% superior aos dos assalariados (IBGE) de todo o Brasil em 2022, é pertinente perguntar: tal elevação impactaria demasiadamente nas elevações dos preços das cestas básicas das capitais advindas de uma possível maior demanda? As cotações das cestas básicas foram obtidas no Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos), enquanto os valores dos rendimentos médios reais mensais das pessoas (acima de 14 anos) foram obtidos no IBGE (Instituto Brasileiro de Economia e Estatística).

  •  27/04/2023 07:25

Por Daniel Christian Henrique, Gabriel Dudena de Faria (bolsista Probolsas) e João Carlos Prats Ramos (bolsista Probolsas). Alcançado o ano de 2022 com diversas vacinas desenvolvidas para a Covid-19 e em franca aplicação mundo afora, somada às amplas flexibilizações sanitárias em parte significativa dos países, variantes de menor potencial agressivo (como a Ômicron) e divulgação massiva dos dados em todos continentes referentes a pandemia, pôde-se realizar o seguinte estudo: qual o melhor modelo preditivo de Inteligência Artificial para previsão do PIB mundial per capita considerando o número de casos ativos e os de mortes por covid para este período de maior flexibilização sanitária iniciada em 2022? Metodologicamente optou-se por fazer um comparativo através de três análises por inteligência artificial com uso de machine learning em modelos de regressões múltiplas, redes neurais e random forest. Todos os dados foram coletados no Our World in Data.

  •  05/04/2023 11:12

Por Adrielle Helena Manrich e Daniel Christian Henrique. O ICC – Índice de Confiança do Consumidor calculado e atualizado mensalmente pela FECOMERCIO/SP tem por objetivo analisar o “humor” dos consumidores frente às percepções de suas condições financeiras, perspectivas futuras e de suas percepções econômicas do país. (FECOMERCIO, 2023). Portanto, esta pesquisa tem por objetivo tentar identificar se o ICC pode ser predito pelos índices ICCs segmentados a renda, idade e gênero, assim como se algum destes últimos também recebe influências de alterações nos demais da carteira ICC. Abordou-se as séries temporais de cada índice entre maio de 1999 a maio de 2022.

  •  25/10/2022 10:27

Por João Carlos Prats Ramos (bolsista Probolsas) e Daniel Christian Henrique. Recentemente houve uma grande instabilidade no preço do leite. Somente neste ano, o valor para aquisição da bebida somou uma alta de 60% (EMBRAPA, 2022), sendo um dos principais responsáveis pelas elevações inflacionárias do setor de alimentos e bebidas. Porém, houve uma queda de 37,6% do preço em setembro no comparativo a agosto. Frente as elevações do preço neste ano do preço do leite no Brasil, seguida pela sua inicial baixa recente, foram propostos quatro modelos estatísticos para realizar a previsão de seu preço médio para os próximos doze meses no Brasil e no estado de Santa Catarina: Arima, Holt-Winters Aditivo / Multiplicativo e Rede Neural. Ambas as séries temporais foram coletadas e organizadas para o período entre janeiro de 2012 a setembro de 2022.

  •  18/10/2022 16:48

Por Gabriel Dudena de Faria (bolsista Probolsas) e Daniel Christian Henrique. Com a proximidade do inverno no hemisfério norte, a cada mês contabiliza-se aumentos nos preços do gás liquefeito (EPBR, 2022). Os seguintes fatores simultâneos foram os principais responsáveis para as elevações das cotações da commodity: covid-19, mudanças climáticas e diminuição do fluxo de gás no gasoduto Russo (E3G, 2022). Neste contexto, uma das regiões mais fortemente afetadas foi o Reino Unido, vendo-se obrigado a buscar mundo afora a importação dessa tipologia de gás - que dispensa gasodutos e pode ser transportada por navios-tanque de GNL, assim como por rodovias via carretas criogênicas.

Leia nossos boletins mensais sobre os principais acontecimentos do mês na economia, finanças e mercado, sempre com total imparcialidade!!!

Aqui você encontra pesquisas anteriores a 2020 publicadas em congressos e revistas científicas pelos integrantes do GPFA, individualmente ou em conjunto com outros pesquisadores

Alexandre Marques Fortes

Graduando em Engenharia de Produção Civil. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Arthur Fermiano Gallate Ribeiro

Graduando em Engenharia de Produção Plena. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Daniel Christian Henrique

Professor Adjunto do Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Leia Mais  

Eduardo Di Donato

Granduando em Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Eduardo Ferraz Lodi

Graduando em Engenharia Eletrônica - UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Fabio Augusto Dittrich

Graduando em Engenharia Eletrônica - UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Gabriel dos Santos Rambo

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Gabriel Santana dos Santos

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica pela UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Guilherme Cadona da Silva

Graduando em Engenharia Eletrônica - UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Igor Augusto Obreli Mouco

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

João Vitor Savi

Graduando em Engenharia Elétrica - UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Luiz Ricardo Sanchez Alves

Graduando em Engenharia Elétrica - UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Pâmela Beatriz da Silva Farias

Graduanda em Engenharia Eletrônica - UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Rafael Hiroshi Odani

Graduando em Engenharia de Produção Civil na UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Sabrina Knoll Godoy Ilha

Graduanda em Engenharia Eletrônica - UFSC. Universidade Federal de Santa Catarina

Christine Silva Saurin

Graduanda em Engenharia de Produção Elétrica - Universidade Federal de Santa Catarina

Adrielle Helena Mannrich

Graduanda em Engenharia Química. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Bianka Pisani de Souza

Graduanda de Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Danilo Ferreira Bento

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Eduardo de Souza Ronsoni

Graduando em Engenharia Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Felipe Vieira Leandro da Silva

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Frederico Werner de Mascarenhas

Graduado em Engenharia de Produção Civil. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina. Mestrado profissional em andamento em Master of Business Administration. University of Georgia, UGA, Estados Unidos.

Flávia Rodrigues de Souza

Graduanda em Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Gabriel Dudena de Faria

Graduando em Engenharia Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Gustavo Odair Medeiros

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Gianpiero Camargo Bedin

Graduando em Engenharia Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Ivan Aune de Aguiar Filho

Engenharia de Produção Civil. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

João Carlos Prats Ramos

Granduando em Engenharia Eletrônica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Luís Eduardo Fortunato

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Kevin Luiz Rocha de Azevedo

Graduando em Engenharia Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Lucas Ferreira Mazagão

Graduando em Ciências Econômicas. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Lucas Johannes de Voest Silva

Graduando em Engenharia de Produção. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Luis Gustavo Piva Machado

Graduando em Engenharia Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Luiz Ricardo Mendes da Silva

Graduando em Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Mickael Saadi de Penedo

Graduando em Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Otávio Gomes

Graduando em Engenharia de Produção Civil. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Ilan Blanche

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Joao Marcos Seraphim Mello

Graduando em Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Jucemar Paes Neto

Graduando em Engenharia Eletrônica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Pedro Augusto Dalinghaus dos Santos

Graduando em Engenharia de Produção Civil. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Ricardo Pering dos Santos

Graduando em Engenharia de Produção Civil. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Pablo André Kraemer Aliaga

Graduando em Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Wesley Dias Oliveira

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica pela UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Fabricio Emydio da Silva

Graduando em Engenharia de Produção Elétrica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Patrick Lazzarin

Graduando em Engenharia de Produção Mecânica. UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Sobre a Planilha AnalyticPro

A Planilha AnalyticPro (nome provisório) é uma potente ferramenta financeira em Microsoft Excel para projeções de fluxos de caixa de projetos e empreendimentos desenvolvida no GPFA pelo Prof. Dr. Daniel Christian Henrique. Após alguns anos de construção, a planilha já pôde ser validada em projeções de empreendimentos reais e simulados oriundos de pesquisas de monografias.

Teoria e Prática

Um dos maiores diferenciais desta planilha em relação aos softwares encontrados no mercado é sua total integração às teorias financeiras, com abas integradas e pré-concebidas para atender as diferentes fases de um fluxo de caixa direto. Notadamente já ingressa como uma das melhores planilhas de projeção financeira do meio acadêmico nacional.

Capacidade

A planilha suporta a inclusão de até 35 produtos ou serviços, com possibilidade de parcelamentos das receitas e custos; financiamento SAC ou PRICE; separação entre custos diretos, indiretos e despesas; projeção para um período previsível de até 30 anos somado a outros 30 anos de período não previsível - totalizando 60 anos de fluxo de caixa. Oferta a opção de tributação pelo lucro real ou simples nacional.

Projeções

As projeções das variações dos fluxos de caixa futuros podem ser diferenciados para cada produto, tipologia de imposto, receitas, custos ou despesas, facilitando a geração de estimativas otimistas, prováveis ou pessimistas conforme simulam-se as flutuações das variáveis principais do projeto.

Em andamento

A planilha já suporta a realização análises de cenários, análises de sensibilidade e Simulações de Monte Carlo. Mas está em andamento a possibilidade de maior automatização nos inputs dos dados de variação e geração dos fluxos de caixa decorrentes.

Faça sua pesquisa conosco

A Planilha AnalyticPro é exclusiva para uso em pesquisas, não destinada a venda. Futuramente, ao termino de seu desenvolvimento, pretendemos adaptá-la para HTML ou em executável para facilitar o uso em pesquisas e orientações do GPFA em outras universidades.

Para quem gostou de nossos conteúdos científicos, nos sites das revistas e congressos abaixo de outras universidades de renome podem ser encontradas mais pesquisas interessantes e de qualidade relacionadas às diversas áreas que compõem as finanças analíticas:

REVISTAS CIENTÍFICAS:

RBFIN - Brazilian Review of Finance 

Revista FSA - Periódico do Centro Universitário Santo Agostinho

Revista Contabilidade & Finanças 

RCO - Revista de Contabilidade e Organizações 

IJIE - Iberoamerican Journal of Industrial Engineering 

RECFin - Revista Evidenciação Contábil &Finanças 

RAM - Revista de Administração do Mackenzie 

Brazilian Review of Econometrics 


CONGRESSOS CIENTÍFICOS:

SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção 

CONBREPRO - Congresso Brasileiro de Engenharia de Produção 

ENEGEP - Encontro Nacional de Engenharia de Produção 

Congresso Brasileiro de Economia 

Encontro Brasileiro de Economia e Finanças Comportamentais 

ENANPAD - Encontro da Associação Nacional da Pós-graduação em Administração

Congresso Internacional de Administração 


SOFTWARES GRATUITOS E PAGOS:

Nos links em sequência podem ser encontrados softwares gratuitos ou pagos, excelentes para usos em econometria, finanças e machine learning:

Eviews 

R 

IBM SPSS 

Gretl

Python
  • Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima, R. Delfino Conti, s/n - Trindade, Florianópolis - SC, 88040-900

Aqui você encontra as principais cotações e notícias do dia que poderá precisar em suas pesquisas na área financeira, atualizadas diariamente. Todas informações são de widgets de sites fora deste domínio.

COTAÇÕES DE COMMODITIES

CÂMBIO E TAXAS DE JUROS:

COTAÇÕES DOS MERCADOS DE CAPITAIS