Boletim Finanças & Mercado - Outubro de 2021


03 Nov
03Nov

Por Daniel Christian Henrique

As principais variações dos índices e dados macroeconômicos que movimentaram e influenciaram a economia, as finanças, assim como os mercados de capitais para o mês de outubro foram:

Índices de Inflação:

Fonte: Economatica (2021)

Após sofrer um revés no mês anterior, o IGPM volta a obter nova alta de 0,64%, ocasionando um acumulado de 16% no ano. A minério de ferro foi o principal item atrelado à sua alta em outubro (FGV, 2021).

O IPCA-15, por sua vez, sofre a maior alta mensal desde outubro de 2015 defronte o aumento na tarifa de energia elétrica, seguido pelo gás de botijão, no grupo de habitação. O grupo de transportes também seguiu as altas que impactaram no índice, com destaque aos aumentos dos preços das passagens aéreas e da gasolina. Fecha os principais impactos o grupo de alimentação as altas do tomate, da batata e do frango. A carne vermelha, finalmente, obteve uma baixa neste mês (IBGE, 2021; AGÊNCIA BRASIL, 2021).

Cesta Básica:

Fonte: DIEESE (2021)

Considerando ainda os aumentos nos preços na alimentação dos brasileiros, Florianópolis foi apontada pela pesquisa mensal do DIEESE (2021) com a cesta básica mais alta do mês de outubro, alcançando expressivos R$ R$ 700,69, seguido de perto por São Paulo e Porto Alegre, com cestas nos valores de R$ 693,79 e R$ 691,08 respectivamente. Ainda conforme dados da pesquisa, para arcar com a compra de uma cesta básica em Florianópolis, uma família de quatro pessoas ( dois adultos e duas crianças) precisariam ganhar um salário mínimo igual a R$ 5.886,50, ou seja, 5,35 vezes o valor do atual salário mínimo de R$ 1.100,00. Em pesquisa realizada pelo GPFA (2021), Florianópolis, Brasília, Salvador e Aracajú foram as capitais onde os aumentos do preços das cestas básicas mais rapidamente impactam nos rendimentos futuros dos trabalhadores. Veja pesquisa completa CLICANDO AQUI.

Taxas de Câmbio:

Fonte: Economatica (2021)

O Real manteve sua trajetória de desvalorização frente ao Dólar e ao Euro no mês, com altas de 3,74% e 3,51% respectivamente.

Renda Variável e Renda Fixa:

Fonte: Economatica (2021)

Em mais um período de baixa do IBOV em outubro, agora contabilizando -6,74%, o índice representativo da bolsa brasileira já acumula uma perda de 13% no ano, batendo nos 103.500 pontos. Sob a ótica da renda fixa, o CDI que ajusta as taxas de CDB e está atrelado à SELIC, acumula ganhos de 2,91% em 2021. Estaria começando a se formar uma nova onde de volta às aplicações de renda fixa???!!

Referências

AGÊNCIA BRASIL. Prévia da inflação fica em 1,20% em outubro. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2021-10/previa-da-inflacao-ficou-em-120-em-outubro. Acesso em 03 nov. 2021.

DIEESE. Em outubro, custo da cesta aumenta em 16 cidades. Disponível em: https://www.dieese.org.br/analisecestabasica/2021/202110cestabasica.pdf. Acesso em: 05 nov. 2021.

ECONOMATICA. Plataforma financeira. Disponível em: https://economatica.com/plataforma-financeira. Acesso em 03 nov. 2021.

FGV. IGP-M cai 0,64% em setembro de 2021. Disponível em: https://portal.fgv.br/noticias/igpm-setembro-2021. Acesso em 03 nov. 2021.

GPFA. Cesta básica e rendimentos dos trabalhadores nas capitais brasileiras: uma análise da defasagem de sua transmissão. Disponível em: https://www.gpfa.com.br/informes-cient%C3%ADficos/cesta-b%C3%A1sica-e-rendimentos-dos-trabalhadores-nas-capitais-brasileiras-uma-an%C3%A1lise-da-defasagem-de-sua-transmiss%C3%A3o. Acesso em: 05 nov. 2021.

IBGE. IPCA-15 - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15: Principais resultados - Outubro 2021. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/precos-e-custos/9260-indice-nacional-de-precos-ao-consumidor-amplo-15.html?=&t=destaques. Acesso em 03 nov. 2021.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.